DA ALDEIA PARA A CIDADE: PROCESSOS DE IDENTIFICAÇÃO/SUBJETIVAÇÃO E RESISTÊNCIA I

Águeda Aparecida da Cruz Borges

2018

DA ALDEIA PARA A CIDADE: PROCESSOS DE IDENTIFICAÇÃO/SUBJETIVAÇÃO E RESISTÊNCIA I

R$ 35,00Preço

Este livro resulta de pesquisas desde 2003, que se concretizaram na minha tese de doutorado, sobre a presença/frequência indí­gena Xavante no espaço da cidade de Barra do Garças-MT. O objeto é um exemplar de alocação de sentidos da discursividade que faz funcionar a contradição constitutiva, que a cidade funda, materializando, o modo de ocupação negada. Assim, no batimento conformado no processo discursivo, que é o procedimento metodológico exigido pela Análise de Discurso de base materialista, na qual me fundamentei, busquei compreender como se subjetiva esse sujeito que está/frequenta a cidade, mas que no discurso deveria permanecer na aldeia, voltar a ser o que era ou, até mesmo, morrer. Tratar essa questão discursivamente é dar visibilidade para a produção da ilusão de objetividade e evidência de uma realidade, de um referente, como se um sentido já estivesse lá: como se o lugar ocupado pelas pelos indí­genas nas ruas, calçadas de Barra do Garças, significassem, a priori. Esperamos que os fenômenos marcados discursivamente, possam servir para o debate em torno do papel das instituições superiores sobre a responsabilidade na elaboração, por exemplo, de polí­ticas educacionais que contemplem o caráter contraditório do sujeito que, marcado pela incompletude, anseia pelo desejo de ser inteiro, uno.

© 2019 por EdUFMT  - Editora da Universidade Federal de Mato Grosso
Av. Fernando Corrêa da Costa, nº 2367 - Bairro Boa Esperança. Cuiabá - MT, CEP 78060-900